Quais as principais causas da deficiência visual?

006

Quais são as Principais Causas da Deficiência Visual?

Leve, moderada, severa ou profunda. Essa é a classificação que corresponde à resposta à visão de uma pessoa com deficiência visual. Que tem perda total ou parcial da visão. A Deficiência pode ser congênita ou adquirida e o nível de percepção do indivíduo pode variar entre a cegueira e a baixa visão subnormal.

Segundo informações divulgadas no portal da Oftalmologia, nos países em desenvolvimento as principais causas são infecciosas, nutricionais, traumáticas e doenças como a catarata. Nos países desenvolvidos são mais importantes as causas genéticas e degenerativas.

  • Causas congênitas: amaurose congênita de leber, malformações oculares, glaucoma congênito, catarata congênita.
  • Causas adquiridas: traumas oculares, catarata degeneração senil de mácula, alterações retinianas relacionadas à hipertensão arterial ou diabetes

Um indivíduo é considerado cego quando perda a visão ou a capacidade de enxergar diminui, fazendo com que ele não veja quase nada e esteja impossibilitado de ler por meio da escrita, somente pelo sistema Braile. Já a baixa visão acontece quando há comprometimento no funcionamento visual, mesmo que a pessoa já tenha feito algum tipo de tratamento ou correção. Este indivíduo com baixa visão só consegue ler textos impressos quando são ampliados ou se usar recursos especiais (ópticos).

Segundo a OMS, cerca de 1% da população mundial apresenta algum grau de deficiência visual. Mais de 90% encontram-se nos países em desenvolvimento. Nos países desenvolvidos a população com deficiência visual é composta por cerca de 5% de crianças, enquanto os idosos são 75% desse contingente.

A identificação dos sinais característicos da deficiência visual vai variar de acordo com o perfil.

  • Na Criança: desvio de um dos olhos, não seguimento visual de objetos. Não reconhecimento visual de familiares, baixo aproveitamento escolar, atraso de desenvolvimento.
  • No adulto: Visão borrada súbita ou gradativamente. Nas duas situações: manchas brancas nos olhos, dores, flashes, diminuição do campo de visão, podendo levar o indivíduo a esbarrar ou tropeças em objetos estáticos, irritações crônicas nos olhos indicados por olhos lacrimejantes pálpebras avermelhadas, inchadas ou remelosas, náuseas, dupla visão ou nevoa durante ou após a leitura.

Você sabia que pode colaborar para um cuidado mais seguro e com qualidade nos serviços de saúde?
É importante o envolvimento do paciente e família no processo de tratamento, recuperação e cura.

1. No caso de consultas

  •  Façam perguntas e se certifique que foram respondidas e entendidas
  • Escolha um médico ou profissional de saúde de sua confiança
  •  Se necessário convide um familiar ou um amigo para acompanhar durante a consulta para ajuda-lo a fazer as perguntas e a compreender as respostas

2.  No Caso de Cirurgias

  • Pergunte ao cirurgião como é a cirurgia, como é o preparo do pré-operatório, qual o tempo de duração, quais os resultados esperados e como irá se sentir após a cirurgia e quais as possíveis complicações da cirurgia.
  • Tenha certeza de que você e seu cirurgião estejam de acordo com a cirurgia a ser realizada.
  • Informe ao cirurgião, anestesiologista e a enfermagem casos de alergia a medicamentos e reações a diversas à anestesia.

3.  No caso de necessidade de exames diagnósticos

  • Pergunte ao médico, farmacêutico, enfermeiro como é feito o exame, se precisa de algum preparo antes do exame e como receberá os resultados dos exames realizados.
  • Pergunte ao seu médico o que significa o resultado do exame realizado e a relação com o seu estado de saúde.

4. No caso de consultas e uso de medicamentos

  • Informe ao medico quais os medicamentos você usa atualmente (leve uma lista dos medicamentos.
  •  Informe se tem alergia a algum medicamento.
  •  Pergunte ao médico, farmacêutico ou enfermeiro sobre os riscos de combinar medicamentos, alimentos e suplementos alimentares.
  • Pergunte se há ou não a necessidade de receita medica para adquirir os medicamentos prescritos.
  • Verifique se a prescrição medica está clara e legível
  • Leia sempre os rótulos e as advertências dos medicamentos

5.  No caso de segurança da medicação

  • verifique se a clínica realiza administração segura de medicamentos

Nosso próximo passo é esclarecer o que é mito e o que é verdade nos assuntos relacionados à cegueira e baixa visão.

Pessoas com deficiência visual tem a percepção mais aguçada para identificar o outro pela voz.
MITO. A pessoa não terá uma maior sensibilidade, ou um ouvido absoluto, só porque é cega. Ela apenas estará com sua atenção voltada aos estímulos sonoros.

Coçar os olhos é perigoso e pode cegar.
VERDADE. São raros os casos, mas sim é perigoso o ato de coçar o olho com força pode causar desolamento da retina, alteração na córnea, entre outros problemas. O correto é usar uma compressa de algodão e água fria para aliviar o incômodo. Se a coceira continuar, vá ao oftalmologista.

A pessoa que não operar catarata pode ficar cega.
VERDADE. Mas, a cegueira pela catarata é tratável e reversível após cirurgia. O correto é classificar a catarata como uma doença que causa a perda de visão progressiva e, se não for tratada, cegueira.

Olhar para o sol causa cegueira
VERDADE. Sim pode lesar a retina de maneira irreversível

Diabetes pode ser uma causa de cegueira?
VERDADE. A diabetes pode causar hemorragias nos olhos, levando a glaucoma, catarata e até cegueira. É importante salientar que o tratamento adequado do diabetes pode controlar a doença.

Visão subnormal é a mesma coisa que cegueira.
MITO. A visão subnormal não deve ser confundida com cegueira, isso porque o portador de visão subnormal, embora parcialmente, tem visão útil e capaz de ler tipos impressos ampliados com auxilio ópticos, que são aparelhos especiais que apliam consideravelmente a visão.

Somente idosos possuem visão subnormal.
MITO. É importante reforçar que, apesar de ser mais frequente em idosos, a visão subnormal pode acontecer em qualquer idade.
Fique atento!
O Cuidado mais importante que se pode ter com a visão, é estar em dia com a consulta oftalmológica, para que o especialista possa orientar e prevenir problemas no futuro. Tal habito é primordial para preservar a saúde dos olhos. O diagnóstico precoce gera mais rapidez no tratamento, influenciando diretamente no resultado.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que entre 60% e 80% dos casos de cegueira são evitáveis e/ ou tratáveis. Quase 700mil brasileiros cegos poderia estar enxergando se tivessem recebido tratamento adequado a tempo. Por isso, o acesso atendimento médico oftalmológico é decisivo para alterar as condições de saúde ocular do povo brasileiro.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *